Rádio VHF

A bordo de uma embarcação deve haver meios de comunicação rádio de modo que em qualquer caso de emergência se possa contactar outra embarcação ou mesmo uma estação terrestre para obtenção de apoio. O rádio VHF é o mais usado em navegação próxima da costa e seu alcance pode ir até cerca das 20 milhas, dependendo da potência do aparelho e das condições atmosféricas. O seu preço reduzido e comunicações livres de ruídos são algumas das suas vantagens. A diferença básica entre um rádio portátil e um fixo é a sua potência, logo o seu alcance, já que em termos de funcionalidades são idênticos.

Tal como um rádio MF a instalação e o uso de um VHF a bordo requer autorização das entidades oficiais que após a respectiva vistoria e aprovação emitirão uma Licença de Estação com o respectivo indicativo de chamada. Este indicativo representa a identificação da estação a bordo e tem a forma de um código de 4 letras ou 4 letras e um número. Deverá estar afixado em conjunto com a Licença de Estação junto do aparelho. Às embarcações de recreio portuguesas foi internacionalmente atribuído o prefixo CR.

Um aparelho de VHF compõe-se basicamente do seguinte:

  • Selector de Canais - permite a escolher o canal de chamada ou/e de trabalho.
  • Selector de Potência - permite seleccionar a potência de emissão do aparelho, normalmente entre a potência mínima (1 watt) e a máxima (25 watts). Entre estações à vista a potência mínima é suficiente.
  • Limitador de Ruídos (SQUELCH) - Deverá ser regulado de modo que passando pela posição de ruído fique no seu limite, caso contrário poderá cortar a recepção de alguns sinais. Se a estação em escuta estiver muito longe ou a sua potência for muito fraca o limitador não poderá ser usado sendo necessário escutá-la com ruídos.
  • Controle do Volume - regula o som audível.
  • Dupla Escuta (DUAL WATCH) - permite que o rádio escute dois canais alternadamente, normalmente o 16 (conforme o aparelho) e outro.

De acordo com as normas internacionais, a faixa de frequências utilizadas em recepção e transmissão nos equipamentos de VHF está dividida de modo que as frequências estão agrupadas aos pares formando os canais designados por 01 a 28 e 60 a 88.

Os canais 06, 08 a 17 e 67 a 77 são chamados canais a uma frequência já que a frequência de emissão é igual à da recepção. Os restantes canais, destinados essencialmente para comunicações entre navios e estações costeiras, são chamados a duas frequências porque as frequências de emissão e recepção são diferentes.


Regras Gerais do uso do VHF

O rádio VHF destina-se prioritáriamente a ser usado em emergências por isso deve, sempre que possível, manter-se em escuta no canal 16 ou no canal de escuta do seu local de navegação (Ex: 12 em alguns portos). Lembre-se que sempre que oiça MEDÊ, PANEPANE ou SECURITÊ, que são os indicativos de socorro, emergência e segurança deve terminar toda a comunicação, ficar à escuta e prestar ajuda se necessário. Os radio-telefones só deverão ser usados para comunicações que digam respeito à segurança da navegação, à troca de informações referentes às actividades das embarcações e ao serviço de correspondência pública. Não esquecer que a pessoa responsável pela embarcação (mesmo que não seja o operador) é responsável pelo serviço da estação de bordo.

  • Antes de comunicar deve verificar que os canais de escuta e trabalho estão livres.
  • Deve pensar no que vai dizer de modo que a mensagem seja curta e precisa.
  • Sempre que possível utilize a potência reduzida.
  • A chamada deve ser feita num canal para o efeito, normalmente o 16 ou outro para o efeito. Assegure-se que não está em curso nenhuma outra no mesmo canal.
  • Ao fazer uma chamada deve indicar uma vez o indicativo de chamada da estação ou navio seguido de aqui e duas vezes o indicativo de chamada ou o nome da sua embarcação.
    Ex: GALEÃO aqui BRUMA, BRUMA
    se a comunicação não for fácil deve repetir o nome das estações, mas não mais de três vezes.
    Ex: GALEÃO, GALEÃO, GALEÃO, aqui BRUMA, BRUMA, BRUMA
  • Passe logo que possível para o canal de trabalho.
  • Fale com calma, de modo claro e pausadamente, para evitar repetições e perca de tempo.
  • Não se esqueça que quando está a falar não consegue ouvir.
  • Quando terminar a sua comunicação e esperar uma resposta da outra estação de acabar a sua frase com a palavra ESCUTO.
  • Termine totalmente a sua comunicação com a palavra TERMINADO e passe de novo para o canal de escuta.
  • No caso de chamadas a embarcações cujo nome se possa confundir com chamadas de socorro, a chamada deve ser prefixada, por exemplo, com a palavra "EMBARCAÇÃO", "IATE" ou outra similar. Assim a chamada seria feita por IATE TAN IATE TAN IATE TAN aqui ... em vez de TAN TAN TAN ... que se pode confundir com PANE PANE ....

É proibido o seguinte:

  • O uso dos canais para outros fins que não sejam os dos Planos Nacionais.
  • O uso dos canais 12 ou 16 para chamadas de determinadas estações quando exista outro canal estabelecido para o efeito.
  • Carregar no botão de emissão no intervalo entre emissões (em vazio).
  • Comunicações desnecessárias, emissão de música ou expressões contrárias à boa moral.
  • Uso de códigos não autorizados ou enganadores.

Uso do VHF fora dos Portos

No mar deve manter-se em escuta no canal 16, salvo se estiver em ligação com uma estação costeira que faça a escuta nesse canal ou se na área onde estiver a navegar seja obrigatória a escuta noutro canal.

Se navegarmos dentro de uma área de uma estação de correspondência pública é possível através do VHF comunicar com a rede telefónica. Em Portugal as estações costeiras da MARCONI fornecem os seguintes serviços em português, inglês e francês:

  • Ligações telefónicas
  • Radio-telegramas telefonados
  • Conselhos médicos via rádio (gratuito)
  • Difusão de Avisos Horários (avisos aos navegantes)
  • Previsões meteorológicas para a navegação (gratuito)

Também é possível a qualquer assinante entrar em comunicação com uma embarcação, desde que se encontre até 30 milhas da costa e esteja em escuta no canal 16. Neste caso o assinante deve indicar ao operador o nome da embarcação e a zona provável de navegação. A estação costeira da respectiva área chamará o navio no canal 16 e passará à escuta. Logo que o contacto com a embarcação esteja estabelecido será indicado o canal de trabalho e feita a ligação com o assinante.

As comunicações entre navios, e no mar, far-se-ão nos seguintes canais:

  • Chamada 16
  • Trabalho 15 para embarcações de recreio, 67, 72 ou 77 para as embarcações de pesca e 06 ou 08 para as restantes.

Uso do VHF nos Portos

Nos portos nacionais em que haja um plano portuário de comunicações deverá ser efectuada escuta permanente no canal 12, salvo se estiver em ligação com uma estação costeira que faça a escuta nesse canal ou se na área em que naveguem tenha sido instituída a escuta obrigatória no canal 13 para segurança de navegação. Nos portos onde não haja um plano de comunicações a escuta permanente deve ser efectuada no canal 16.

As comunicações com as estações costeiras de correspondência pública são efectuadas do mesmo modo que fora dos portos.

Para as comunicações entre navios o canal de chamada será o 12 ou o 16 consoante houver ou não um plano de comunicações nesse porto. Os canais de trabalho serão os 72 ou 77 para as embarcações de pesca e 06 ou 08 para as restantes embarcações.


Canais e Faixas de Frequências VHF Marítimo

A tabela seguinte é a tabela internacional de relação entre canais e frequências, adoptada por Portugal. As frequências de recepção em alguns países, como nos Estados Unidos, são iguais às frequências da emissão em todos os canais exceptuando de 24 a 28 e de 84 a 87, que são idênticas à tabela internacional.

Canal

Frequência
Emissão (Mhz)

Frequência
Recepção (Mhz)
  Canal

Frequência
Emissão (Mhz)

Frequência
Recepção (Mhz)

01

156.050

160.650
 

60

156.025

160.625

02

156.100

160.700
 

61

156.075

160.675

03

156.150

160.750
 

62

156.125

160.725

04

156.200

160.800
 

63

156.175

160.775

05

156.250

160.850
 

64

156.225

160.825

06

156.300

156.300
 

65

156.275

160.875

07

156.350

160.950
 

66

156.325

160.925

08

156.400

156.400
 

67

156.375

156.375

09

156.450

156.450
 

68

156.425

156.425

10

156.500

156.500
 

69

156.475

156.475

11

156.550

156.550
 

70
 

156.525

12

156.600

156.600
 

71

156.575

156.575

13

156.650

156.650
 

72

156.625

156.625

14

156.700

156.700
 

73

156.675

156.675

15

156.750

156.750
 

74

156.725

156.725

16

156.800

156.800
 

77

156.875

156.875

17

156.850

156.850
 

78

156.925

161.525

18

156.900

161.500
 

79

156.975

161.575

19

156.950

161.550
 

80

157.025

161.625

20

157.000

161.600
 

81

157.075

161.675

21

157.050

161.650
 

82

157.125

161.725

22

157.100

161.700
 

83

157.175

161.775

23

157.150

161.750
 

84

157.225

161.825

24

157.200

161.800
 

85

157.275

161.875

25

157.250

161.850
 

86

157.325

161.925

26

157.300

161.900
 

87

157.375

161.975

27

157.350

161.950
 

88

157.425

162.025

28

157.400

162.000

Expressões de Serviço

Para que as comunicações sejam mais breves e explícitas, deve usar-se sempre que possível Expressões de Serviço. Por vezes as comunicações podem tornar-se difíceis de compreender, ou pela qualidade da transmissão ou pelo idioma usado pelos operadores, e ser necessário usar expressões de âmbito internacional descritos no Código Internacional de Sinais. Neste caso as expressões deverão vir precedidas pela palavra INTERCO.

ACUSE A RECEPÇÃO Indique se recebeu e compreendeu a mensagem
ACUSE REPETINDO Transmita depois do ESCUTO, totalmente, e exatamente como recebeu a minha transmissão.
AFIRMATIVO Sim ou autorização concedida
ALGARISMOS Seguem-se algarismos ou números
ALTO O seu sinal é forte
AQUI ... Esta transmissão é feita pela estação cujo indicativo segue imediatamente
CLARO A sua transmissão está compreensível
COM INTERFERÊNCIA Tenho dificuldade em compreender a sua transmissão devido a interferência
COMPREENDIDO Recebida completamente a sua última transmissão
CONTINUE Continue a transmitir a sua mensagem
CORRECÇÃO Cometi um erro nesta transmissão. O texto correcto é ...
CORRECTO Está correcto, ou, o que acaba de transmitir está correcto
DISTORCIDO Tenho dificuldade com a compreensão
ERRADO A sua última transmissão estava errada
ESCUTO A minha transmissão acabou e aguardo resposta
ESPERE Tenho de fazer uma pausa de alguns segundos
ESPERE TERMINADO Sou obrigado a fazer uma pausa mais demorada do que alguns segundos
ESTAÇÃO DESCONHECIDA A identidade da estação com que estou a tentar estabelecer comunicações é desconhecida
EU ACUSO REPETINDO O que se segue é a minha resposta às suas instruções para acusar repetindo
EU SOLETRO Vou soletrar a palavra seguinte foneticamente
EU VERIFICO O que se segue foi verificado a seu pedido e é repetido
FALE DEVAGAR Está a transmitir demasiado depressa. Reduza a velocidade de transmissão
FRACO Ouço-o com dificuldade
LEGÍVEL Boa qualidade. Não tenho dificuldade com a compreensão
MÊDÊ Pedido de socorro. Os anglófonos dizem MAYDAY, mas MÊDÊ vem do francês me aidez (ajudem-me)
MÊDÊ RELÉ Pedido de socorro em nome de outra embarcação
MUITO FRACO Ouço-o com muita dificuldade
NADA OUVIDO Emprega-se que não se recebe resposta a uma chamada
NEGATIVO Não ou autorização não concedida, ou não é exacto ou ainda não estou de acordo
PALAVRA ANTES DE ... A palavra da mensagem a que me refiro é a que precede ...
PALAVRA DEPOIS DE ... A palavra da mensagem a que me refiro é a que segue a ...
PALAVRAS DOBRADAS A título de pedido: a comunicação está difícil; queira transmitir cada palavra duas vezes
A título informativo: sendo a comunicação difícil esta mensagem será dita duas vezes
PANEPANE
PANEPANE
PANEPANE
Sinal de urgência
PASSE A ... Mude para o canal ou frequência ...
PRUDANCE Indica que poderá ser recomeçado um trabalho restricto
RECEBIDO Recebi a sua última transmissão satisfatoriamente
RECONHEÇO As suas instruções foram recebidas, compreendidas e serão executadas
REPITA Repita toda a sua última transmissão
SECURITÊ Sinal de segurança
SILENCE DÊTRESSE Silêncio! Está em curso tráfego de socorro
SILENCE FINI Indica a cessação do tráfego de socorro e o trabalho normal pode recomeçar
SILENCE MÊDÊ Silêncio! Cessar imediatamente todas as comunicações
SILÊNCIO Manter o silêncio até ser dada ordem para retomar as comunicações
SILÊNCIO CANCELADO Retomar as transmissões normais (o silêncio só pode ser cancelado pela estação que teve a cargo a direcção das comunicações durante o silêncio
TERMINADO Esta transmissão terminou e não espero resposta
TUDO ANTES DE ... A parte da mensagem a que me refiro é tudo antes de ...
TUDO DEPOIS DE ... A parte da mensagem a que me refiro é tudo depois de ..
TUDO ANTES DE ... A parte da mensagem a que me refiro é tudo depois de ...
VERIFICAÇÃO RÁDIO Qual a minha intensidade e legibilidade (qualidade e compreensão de sinais) com que me está ouvindo?
VERIFIQUE Verifique toda a mensagem ou a parte indicada e envie a versão correcta